Translate

sexta-feira, 12 de outubro de 2018

Fragata Liberal (F 43) socorre refugiados na costa do Líbano

A fragata Liberal (F 43), atual navio-capitânia da Força Tarefa Marítima (FTM) da Força Interina das Nações Unidas no Líbano (UNIFIL, sigla em inglês), socorreu, na manhã de ontem (11/10/2018), 31 refugiados de um barco à deriva na Costa do Líbano. Entre os socorridos estão mulheres e crianças que estavam sem comida e água há três dias. Os passageiros, bastante debilitados, informaram que eram sírios, e que estavam tentando chegar ao Chipre. A embarcação, sem combustível, foi localizada a cerca de 41 milhas náuticas de Beirute (Líbano). A fragata Liberal, que pertence à Marinha do Brasil, foi acionada pelo Comando da FTM, e imediatamente foram iniciadas as buscas por radar e com aeronaves.

Refugiados sírios regatados por militares da Marinha do Brasil, que compõe a FTM, estavam bastante debilitados

Toda assistência necessária foi fornecida pela UNIFIL, para amenizar o sofrimento das pessoas a bordo, com o fornecimento de água, comida, assistência médica e alguns medicamentos.

Refugiados receberam assistência médica e alimentar

A Liberal permanece no local para prestar todo o auxílio possível aos refugiados, até a chegada de duas lanchas patrulha que realizarão o resgate. A fragata escoltará os resgatados até as águas territoriais libanesas, e lá encerrará suas ações.

Em setembro de 2015, a corveta Barroso (V 34), que estava a caminho para missão da FTM, também resgatou 220 imigrantes no Mar Mediterrâneo.

FTM-UNIFIL

A Marinha do Brasil participa desde 2011 da FTM-UNIFIL, ocasião em que assumiu o comando da Força Tarefa Marítima multinacional e passou a enviar um navio para atuar como capitânia do Comandante da Força.

Atualmente, o contra-almirante Eduardo Machado Vazquez é o comandante da FTM-UNIFIL, integrada por navios da Alemanha, Grécia, Indonésia, Bangladesh e Turquia, além do Brasil.

A fragata Liberal suspendeu da Base Naval do Rio de Janeiro em agosto deste ano para realizar a “Operação Líbano ⅪⅤ”. Por um período de oito meses, a fragata conduzirá as operações de interdição marítima a fim de prevenir a entrada de armas não autorizadas no território libanês, bem como qualquer material correlato, além de contribuir para o adestramento da Marinha Libanesa.

É a quarta vez que a fragata Liberal participa da “Operação Líbano”, tendo atuado anteriormente, em 2012 (Líbano Ⅱ), 2014 (Líbano Ⅴ) e 2016 (Líbano Ⅹ).


Fonte e fotos: Ministério da Defesa
Adaptação de texto: Henrique Ferrinho

Nenhum comentário:

Postar um comentário