Translate

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Woolloomooloo

Segue imagens do navio graneleiro Woolloomooloo, suspendendo de Santos em sua primeira escala em 20/10/2013, após atracar no TEG – Terminal Exportador do Guarujá, para o embarque de 66.000 t de milho a granel. Procedente do Porto de Praia Mole (ES), atracou dia 16/10/2013 por volta das 02:30h e posteriormente seguiu com destino a Singapura.

Woolloomooloo é uma zona portuária, no centro da cidade oriental, no subúrbio de Sydney, no estado de New South Wales (Austrália).

Cultura aborígene

A ortografia atual de Woolloomooloo é derivado do nome da primeira herdade na área, Wolloomooloo House, construído pelo primeiro proprietário John Palmer. Há um debate sobre a forma como Palmer veio com o nome com diferentes palavras aborígenes que estão sendo sugeridos. Antropólogo JD McCarthy escreveu em 'NSW Aboriginal Places Names", em 1946, que Woolloomooloo poderiam ser derivados a partir de qualquer Wallamullah , ou seja, lugar de abundância ou Wallabahmullah, ou seja, um jovem negro canguru.

Em 1852, o viajante coronel GC Mundy escreveu que o nome veio de Wala-mala , ou seja, de um cemitério aborígene. Também foi sugerido que o nome significa campo de sangue, devido às supostas lutas tribais aborígenes que ocorreram na área, ou que é da pronúncia por aborígines de moinho de vento, a partir do que existia em Darlinghurst Ridge até a década de 1850.

[gallery type="thumbnails" ids="3398,3400,3402,3404,3406,3408,3410,3412,3414,3416,3418,3420"]

Nome: Woolloomooloo

IMO: 9584499

Indicativo: 9HA2901

Ano de Construção: 2012

Construtor: Hudong-Zhonghua Shipbuilding (Group) Co Ltd – Xangai, China

Armador: TMS Bulkers Ltd – Atenas, Grécia (Cardiff Marine Inc. - Atenas, Grécia)

Comprimento: 225 m

Boca: 32,26 m

Calado: 14,25 m

Arqueação Bruta (Gross): 41.254 t

Porte Bruto (DWT): 76.064 t

Capacidade: 90.540 m³ (Grão) ou 89.882 m³ (Fardo)

Porto de Registro: Valeta

Bandeira: Malta Bandeira de Malta

 

O armador é conhecido em Santos, por sofrer dois acidentes com navios da mesma classe. O primeiro foi com o navio Oliva, quando suspendeu de Santos em 09/03/2011 com destino a Singapura, e sofreu um encalhe no arquipélago de Tristão da Cunha, partindo o navio em dois e causando perda total deste navio. Mais sobre o acidente, no site tristandc.com, clicando aqui.

O segundo foi com o navio Milagro em 13/02/2012, quando o navio demandava de Santos para atracar no TGG. Nas proximidades do terminal, o navio preparava-se para fazer o giro e atracar no terminal a bombordo, quando colidiu-se com o shiploader do próprio terminal, causando avarias no navio e no shiploader. O navio voltou para a barra, na mesma data, aguardando nova liberação para reatracar no terminal. Reatracou no dia 26/02/2012 a boreste. Mais sobre o acidente no blog Navios de Santos, clicando aqui.

 

Referência: Wikipédia

Fotos: Henrique Ferrinho

Nenhum comentário:

Postar um comentário