Portal do Porto: Vale

Translate

Mostrando postagens com marcador Vale. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Vale. Mostrar todas as postagens

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Navio da Vale finalmente atraca na China


A Vale atracou em um porto chinês pela primeira vez depois de mais de dois anos. O Shandong Da Ren (antigo Vale Malasya) de 402.285 t de porte bruto, atracou no porto de Dongjiakou em 02 de outubro, suspendendo dia 04 de outubro.

A gigante mineradora brasileira enfrentou a oposição de armadores chineses que disseram que o Valemax podia piorar o excesso de envio e roubar a quota do mercado. Esta foi a razão pela qual em 2012, o Ministério dos Transportes chinês proibiu as gigantes operadores de minério nos portos do país. A proibição forçou a Vale a construir uma instalação de transbordo na Malásia em uso e um centro de distribuição nas Filipinas e centros de trânsito na África para atingir os seus clientes chineses.

No mês passado, a Vale assinou um acordo com a China COSCO e a China Merchants Energy Shipping, que foi marcado como um descongelamento das relações.

A frota total pela empresa brasileira, seria capaz de transportar para a China cerca de 44 milhões de toneladas de carga por ano. O país asiático consome mais de dois terços do comércio transoceânico de minério de ferro do mundo (cerca de 1,3 mil milhões de toneladas).


Foto: Adri Schouten - Shipspotting.com
Fonte: VesselFinder
Adaptação de texto: Henrique Ferrinho

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Notícias rápidas

Previsão de início das obras no Canal da Nicarágua


O início das obras de construção do Canal da Nicarágua foi confirmada para dezembro deste ano. O Grande Canal da Nicarágua ligará o litoral caribenho do país do Pacífico e através de um curso de água deverá ser de três vezes maior do que o Canal do Panamá.

A construção começará com um porto na costa do Pacífico da Nicarágua, na foz do Rio Brito. A concessionária responsável pelo projeto é a empresa chinesa HKND Group, com sede em Hong Kong.

A infra-estrutura inclui dois portos, um aeroporto, dois conjuntos de eclusas, um lago artificial, fábricas de cimento e aço, equipamentos turísticos, uma zona de livre comércio e estradas. O custo para a hidrovia de 286 quilômetros, foi estimada em cerca de US$ 40 bilhões e que deverá ser concluída em 2019.

O Canal da Nicarágua terá um projeto de 27 m de profundidade, largura de 83 m, o bloqueio de 466 m de comprimento. Ele será capaz de acomodar navios de até 400 mil toneladas.


Vale planeja cooperar no maior estaleiro de reparação naval da América do Sul


A Vale assinou um acordo para colaborar em um projeto que tem como objetivo construir o maior estaleiro de reparação naval da América do Sul. O projeto é conhecido como Brasil Basin Drydock Company (BBDC). Fundadores parceiros do projeto são a McQuilling e a Promon Engenharia.

A nova unidade será localizada em município do Lucena (PB), norte de Cabedelo, e será chamada Empresa de Docagens Pedra do Ingá (EDPI). De acordo com o gerente de projeto do BBDC, Celso P. Souza, o primeiro navio deve entrar nas instalações em cerca de três anos.

A Vale vai ajudar o progresso do projeto, através da implementação e consultoria em layout do estaleiro, equipamento e armamento. O diretor comercial de serviços da McQuilling, David Saginaw, comentou:

"A Vale destaca-se como uma entidade única para nós, bem estabelecida no Brasil, e com um alcance muito além das fronteiras do Brasil. A cooperação direta com a Vale reconhece a importância de sua perspectiva global no que diz respeito a reparar os requisitos de ambos os navios, tanto de propriedade, como de terceiros chamando nas instalações da Vale ".

O estaleiro será capaz de lidar com os gigantes navios Valemax (VLOCs). Ele contará com duas enormes docas secas e facilidade de hydrolift/transferência de um navio. O investimento na unidade foi estimada em US$ 700 milhões.

Um acordo semelhante para a cooperação já foi assinado com o Sindicato dos Armadores Brasileiros (Syndarma).

"Valorizamos muito a oportunidade que a cooperação com o Syndarma e a Vale, traz para este projeto," acrescentou Saginaw.


"K" Line encomenda navios com capacidade até 14.000 Teus


A Kawasaki Kisen Kaisha ("K" Line) anunciou uma nova encomenda de cinco navios de até 14.000 Teus . Os novos porta-contêineres serão construídos pelo estaleiro Imabari Shipbuilding Co Ltd em Miharan HS (Japão) com 365,90 m de comprimento, 51,20 m de boca e 14 m de calado. O preço dos navios porta-contêineres não foram anunciados.

O conglomerado japonês fez o pedido, seguindo a tendência do setor - com navios de maior porte para a competitividade de custos. A empresa também acredita que os novos navios irá melhorar a eficiência de seus negócios.

Os novos navios deverão ser entregues entre a primavera e o verão de 2018. Eles serão idênticos aos cinco navios irmãos encomendados anteriormente. O primeiro quinteto deverá ser entregue entre primavera para o verão do próximo ano. Estima-se que a empresa com sede em Tóquio irá investir mais de 942 milhões dólares em seus dez novos navios.

Confira abaixo a encomenda dos navios feita pela "K" Line ainda sem nomes definidos:


IMO
NOME
CONSTRUÇÃO
GROSS
DWT
TIPO
9689603
IMABARI HIROSHIMA 2535
2015
155,000
145,500
Porta-container
9689615
IMABARI HIROSHIMA 2536
2015
155,000
145,500
Porta-container
9706736
IMABARI HIROSHIMA 2531
2015
155,000
145,500
Porta-container
9706748
IMABARI HIROSHIMA 2532
2015
155,000
145,500
Porta-container
9706750
IMABARI HIROSHIMA 2533
2015
155,000
145,500
Porta-container
9757187
IMABARI HIROSHIMA
2018
155,000
145,500
Porta-container
9757204
IMABARI HIROSHIMA
2018
155,000
145,500
Porta-container
9757216
IMABARI HIROSHIMA
2018
155,000
145,500
Porta-container
9757228
IMABARI HIROSHIMA
2018
155,000
145,500
Porta-container
9757230
IMABARI HIROSHIMA
2018
155,000
145,500
Porta-container

Os novos navios irão aumentar a capacidade de transporte da "K" Line em um pouco mais de 10% e a frota de contêineres terá um pouco mais de 70 navios.


Foto: HKND Group - Reprodução
Fonte: VesselFinder
Adaptação de texto: Henrique Ferrinho

domingo, 22 de junho de 2014

Sossego

Segue imagens do rebocador Sossego, em turnaround no dia 16/06/2014 em provas no mar. Procedente de Ponta da Madeira (MA), chegou em Santos dia 18/05/2014 para reparos no estaleiro da Wilson, Sons em Guarujá (SP). Suspendeu dia 19/06/2014 de volta para Ponta da Madeira (MA), onde auxilia nas manobras de navios por lá.















Nome: Sossego
IMO: 95455890
Indicativo: PP6848
Inscrição: 121-013236-2
Ano de Construção: 2009
Construtor: Detroit Brasil Ltda. - Itajai, SC - Brasil
Operador: Vale S.A. - Rio de Janeiro, RJ - Brasil
Comprimento: 32 m
Boca: 11,60 m
Calado: 4,50 m
Arqueação Bruta (Gross): 448 t
Porte Bruto (DWT): 227 t
Porto de Registro: São Luís
Bandeira: Brasil
Antigos Nomes: Sossego (10/2010) e Sossego Vale (?)


Fotos: Henrique Ferrinho

terça-feira, 25 de março de 2014

Vale recebe primeiro ULOC na Malásia

1

O centro de distribuição de minério de Teluk Rubiah, na Malásia de propriedade da Vale em fase de comissionamento, recebeu pela primeira vez um navio mineraleiro ULOC (Ultra Large Ore Carrier).

Procedente do Porto de Tubarão, ES, o navio Berge Everest em viagem inaugural para a Malásia para o desembarque de 382,5 mil t de minério de ferro.

O navio pertence ao armador Berge Bulk Maritime Pte Ltd – Singapura (Berge Bulk (Norway) AS – Oslo, Noruega) e afretado ao armador brasileiro Vale S/A – Rio de Janeiro, RJ – Brasil.

Com 360,97 m de comprimento, 65 m de boca, 388.133 t de DWT e capacidade de 222 mil m³.

 

Obs.: Diferente do que foi informado na mídia, ele não é o maior navio mineraleiro do mundo, existem muitos navios maiores que ele, tanto em porte bruto, quanto em comprimento linear. O maior navio mineraleiro em porte bruto é o Vale Beijing com 404.389 t de DWT.

 

Maiores mineraleiros em comprimento linear - 362 m de comprimento X 65 m de boca

 



































































IMONome do NavioConstruçãoGrossDWTOperador
9488918Vale Brasil2011198,980402,347Vale SA
9572329Shandong Da De (Antigo Vale Rio de Janeiro)2011198,980402,303Vale SA
9593919Shandong Da Cheng (Antigo Vale Carajas)2012198,980402,285Vale SA
9572343Shandong Da Ren (Antigo Vale Malaysia)2012198,980402,285Vale SA
9593957Shandong Da Zhi (Antigo Vale Minas Gerais)2012198,980400,000Vale SA
9572331Vale Italia2011198,980400,000Vale SA
9593969Vale Korea2013198,980400,000Vale SA

 

Sobre o centro de distribuição de minério de Teluk Rubiah

 

Com um investimento total de US$ 1,371 bilhão, o centro de distribuição Teluk Rubiah faz parte da estratégia de negócios da Vale de atender à demanda das indústrias siderúrgicas na região Ásia-Pacífico, o principal destino do minério de ferro da companhia, e de reduzir custos logísticos, que respondem por quase 80% das despesas no segmento.

O terminal marítimo terá profundidade para receber navios do tipo VLOC (Very Large Ore Carriers) e também contará com um centro de distribuição de minério.

 

Imagem e Fonte: Vale – Reprodução

terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Fazendão

Segue imagens do rebocador Fazendão no Porto de Santos ontem 10/02/2014, se preparando para entrar em doca seca para manutenção no estaleiro da Wilson, Sons em Guarujá/SP.

Procedente do Porto de Ponta da Madeira/MA, onde auxilia nas manobras de navios. Chegou no sábado (08/02/2014) por volta das 22h30 e esteve atracado no armazém 6 no Porto de Santos.

Realizou a mudança para o estaleiro, para manutenção preventiva. Este rebocador pertence à Vale e são bem raros por aqui, o que fica seu registro por aqui.

Fazendão

Fazendão

Fazendão

Fazendão

Fazendão

Fazendão

Fazendão

Fazendão e Alba

Alba

Nome: Fazendão
IMO: 9555981
Indicativo: PQAF
Inscrição: 3813879348
Ano de Construção: 2011
Construtor: Detroit Brasil Ltda. – Itajaí, SC – Brasil
Armador: Vale S/A – Rio de Janeiro, RJ – Brasil
LOA: 32 m
Boca: 11,60 m
Calado: 4,28 m
Arqueação Bruta (GT): 482 t
Porte Bruto (DWT): 366 t
Tração Estática (Bollard Pull): 78 t
Porto de Registro: Rio de Janeiro
Bandeira: Brasil Bandeira do Brasil


Fotos: Henrique Ferrinho